Criptografia para leigos – Parte 1

Como a área que tenho atuado é a área de criptografia, mais especificamente assinatura digital, vou começar a escrever aqui no meu blog, da maneira mais didática e leiga possível, um pouco sobre este mundo. Não pretendo dar um enfoque muito técnico, e nem mesmo matemático ao assunto. Não vou explicar como funciona a criptografia em suas nuances. Meu objetivo aqui é apenas dar noções básicas que permitam que meus amigos, especialmente os não-informatas, possam entender um pouco mais o que eu faço. E também falar um pouco de como você pode usar criptografia no seu dia-a-dia (e de como você usa criptografia hoje, mas nem sabe).

Interessado(a)? Acompanhe e interaja através dos comentários nos posts desta série.

Introdução – O que é criptografia?

Criptografia é, de maneira simples, “escrever em códigos“. Não vou dedicar linhas à uma abordagem histórica da criptografia, se você é curioso(a) entre no site NumaBoa que lá tem muita informação sobre isso. O que interessa é que a ciência da criptografia, a criptologia, é muito antiga. No começo, era bem simples. Coisa que com papel e caneta você faz. Hoje em dia, é muito mais complexa, códigos que se você colocar todos os computadores do mundo pra tentar quebrar vai precisar de mais tempo que a idade estimada do universo pra ter sucesso.

Ih, já comecei a complicar. Códigos, quebrar? Ok, vou tentar ir com mais calma.

Em geral, a criptografia é o processo de transformar um texto compreensível (que chamaremos de mensagem) em um texto codificado (que chamaremos de código), usando uma fórmula matemática (que chamaremos de cifra). “Mas espera aí, fórmula matemática?“. Sim! Toda informação num computador, seja o que for, está armazenada na forma de números. Uma figura, um texto, etc. Tudo isso são números. Aplica-se uma fórmula sobre um número, ele vira outro número. De maneira simplificada, isso é a cifragem, ou seja: Você pega uma mensagem (número), aplica uma cifra (fórmula) e obtém um código (outro número).

Agora, você lembra que lá na escola você aprendeu uma coisa chamada função inversa? Aquela, que se aplicada sobre a resposta obtida na função, retorna o número original? Por exemplo, a função inversa de:

f(x) = x+1

é

g(x) = x-1

Simples, não? Quando fazemos isso, podemos dizer que estamos decifrando o código. Ou seja, pegamos um código (o número obtido na cifragem), aplicamos uma cifra inversa (função inversa) e obtemos nossa mensagem de volta. Você pode estar pensando: “Ok, mas este exemplo foi ridiculo“. Sim, pra nós, hoje em dia, chamar isso de criptografia pode parecer ridículo. Mas o Grande Júlio César fez uso de uma cifra muito parecida, a famosa Cifra de César, que envolvia associar cada letra a um número e simplesmente fazer algo muito parecido com o que acabamos de fazer: somar 13 para cifrar, e tirar 13 para decifrar.

Na verdade está envolvida aí uma operação modular, ou seja, imagine os números como indo de 1 a 26 (26 letras do alfabeto) apenas, se chegar a 27 você na verdade volta a 1, e vice-versa, se chegar a 0, volta pro 26. Pra facilitar, coloque os números em um círculo. Note que a obtenção do módulo, matematicamente falando, nada mais é que obter o resto da divisão (28 mod(26) = 2, pois 27 dividido por 26, dá 1 e sobra 2). Pode parecer difícil, mas você certamente já viu isso antes, mas talvez só não percebeu: 15 horas no seu relógio digital, é indicado como 3 horas no seu relógio de ponteiro que representa as 24 horas do dia em módulo 12.

Claro que hoje em dia as coisas não são mais tão simples. As cifras evoluiram muito em complexidade, usando alguns artifícios da matemática que não vou comentar aqui por não atender o objetivo dos meus posts. Mas aos curiosos, reforço o convite de conhecer o site NumaBoa que tem muita informação boa sobre o assunto.

Uma última coisa importante: o número 13 da cifra de César, pode ser considerado como um exemplo simples de uma coisa importante de qualquer cifra moderna. O número poderia ser qualquer um, de 1 a 25, certo? Ou seja, e você usar 12 para cifrar a mesma mensagem, o código obtido será diferente. Este valor que podemos escolher, e que afeta o resultado obtido, é o que chamamos de chave. No caso de César, se não soubermos a chave, precisamos tentar só as 25 possíveis, o que você pode fazer com lápis e papel em poucos minutos. E com um computador, nem se fala. (Brinque aqui com o cifrador de césar). Esse negócio de tentar todas as chaves possíveis é um dos jeitos mais conhecidos de quebrar um código, e recebe o nome de ataque por força bruta (faz sentido, né?). Uma boa cifra moderna precisa mais do que a idade estimada do universo pra ser quebrada assim😉

Operação de Cifragem

Operação de Cifragem

Espero ter sido didático e não ter complicado muito. Se você é leigo e entendeu, comente aí pra me deixar feliz. Se não entendeu, comente e tire suas dúvidas, o objetivo é que você entenda!😉

No próximo capítulo vou dar uma introdução básica sobre o que é Criptografia Assimétrica. Não se assuste com o nome. Não é tão difícil assim😉

6 pensamentos sobre “Criptografia para leigos – Parte 1

  1. patricia disse:

    ola? vou fazer um trabalho sobre o assunto! vc acha ele de inicio facil ou complicado? bjs

    O assunto “Criptografia” é muito amplo, tem muitas sub-áreas pra responder isso…. Qual o enfoque que você pretende dar ao trabalho? É trabalho de faculdade, técnico, escolar? Dependendo do nível e enfoque, posso indicar referências e dicas…

  2. Maira Fonseca disse:

    Oieeeeeee…
    Adorei o teu site!Eu também estou fazendo um trabalho do ensino superior curso ASTI, matéria Matemática, e gostaria de saber sobre o teu ponto de vista a respeito da criptografia, algum livro que possa me indicar, pois necessito de bibliografia de livros e meu trabalho necessita ser manuscrito.

    Parabéns pelo site…
    Obrigada Maira Fonseca

    Olá Maira!

    Obrigado pela visita e elogios ao site. Criptografia é uma área um tanto extensa, existem muitos livros tratando das mais diversas áreas. Qual é a abordagem que você quer dar ao trabalho? Histórica, Aplicações modernas, etc?

    Uma recomendação que dou desde já é o site http://www.numaboa.com/criptologia

  3. Sidnei Vicente disse:

    Gostei muito da primeira parte ja estou ancioso para conhecer um pouco mais sobre o assunto criptografia sempre gostei e me lembro ate hj do criptograma do filme codigo da vince durante aquele momento do filme fiquei tentando quebrar a senha do criptograma , Otima iniciativa a sua deixo aqui meus agradecimentos !!!!!!!!!!!!! Sidnei

  4. kryptosfan disse:

    Olá!! Eu tenho trabalhado em uma cifra na estátua Kryptos no CIA e tive a grande ideia que pôde estar em uma língua diferente. Eu tive alguns francês e espanhol na High School mas para tentar uma cifra de substituição e para esperar não bastante que eu posso travar as palavras direitas. Você sabe algum bom programa em linha ou tem alguma sugestão do que eu poderia tentar? Eu estou indo procurarar por blogues de WordPress que discuto códigos e cifras (esperançosamente) assim se eu visitei acidentalmente seu local e não não tem nada fazer com códigos/cifras/enigmas, eu sou realmente pesaroso. Os agradecimentos para toda a ajuda qualquer um podem dar-me!

  5. Leonardo Emery disse:

    Adorei, sempre brinco com minha namorada com menssagens criptografadas, e indiquei essa pagina para ela poder aprender um pouco mais sobre esse estudo que muito me fascina!
    Parebéns!

  6. isaura l perira disse:

    gostaria de entender mais sou um pouco crua no assunto e to vendo que sem matemática não da e eu não gosto muito ob

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: